VÁRZEA ALEGRE TERRA DOS CONTRASTES - Mundim do Vale
Localizada no centro sul do estado do Ceará ficou conhecida no Brasil inteiro depois do musical Contrastes de Várzea Alegre, interpretado por Luiz Gonzaga e composto por Zé Clementino. Cidade que foi tema de um documentário da Rede Globo de Televisão, por ser uma cidade alegre, fazendo assim jus ao seu nome. Cidade que por brincadeira de um grupo de agricultores do sítio Roçado de Dentro, deu partida no samba, para ser hoje, com duas escolas, MIS e ESURD, detentora do melhor carnaval do interior cearense, atraindo turista do estado e do país. Cidade de um povo que transformas as adversidades em causos humorísticos. Cidade que Jesus foi intimado, que o padre era casado, que o sobrado é no oitão, que Telha Quebrada é filho de Zé Goteira e um cego da Boa Vista morreu afogado na Lagoa Seca. Cidade que aparece nos sonhos dos seus filhos que estão ausentes, mas não esquecem jamais. Várzea Alegre dos grandes adjuntos da colheita do arroz, animados pelo grupo de Maneiro Pau e a Banda Cabaçal. Várzea Alegre que quando os filhos que estão distantes se encontram dizem:
- Ou Várzea Alegre boa só é longe! Várzea Alegre que Manoel Cachacinha criou o slogan “Várzea Alegre é natureza! E para finalizar, Várzea alegre é a cidade que só nos deixa tristes quando estamos distantes.

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Raimundo Duarte Bezerra - Memoria Varzealegrense

RAIMUNDO DUARTE BEZERRA (PAPAI RAIMUNDO), O FUNDADOR DE VÁRZEA ALEGRE - TIBURCIO BEZERRA

Uma particularidade distingue Várzea Alegre, desde os tempos mais remotos. Refiro-me à preferência histórica da população pelo nome Raimundo, fenômeno repetido em todas as épocas e no seio de todas as famílias.

O hábito originou-se, em parte, na mística da devoção ao santo padroeiro, todavia a verdadeira origem é ainda mais antiga e repousa na figura histórica de Raimundo Duarte Bezerra, imortalizado pelo carinhoso cognome de Papai Raimundo".

Hoje, depois de passados mais de dois séculos, muita gente pergunta: 
- Quem foi Papai Raimundo? O que fez esse personagem, cuja história anda meio perdida na escuridão do passado?
A própria história responde: - foi o fundador da cidade e o principal ascendente da família varzealegrense.

Nasceu em 1767, no sítio Lagoas, distrito de Canindezinho. Filho de Francisco Duarte Bezerra e Bárbara de Morais Rego, era neto do casal Bernardo Duarte Pinheiro/Ana Maria Bezerra, sendo este o primeiro colonizador do município, que por aqui chegou em 1717, ainda no tempo do Brasil Colônia, há quase 300 anos.

Casou-se com Tereza Maria de Jesus, a 20 de agosto de 1788 e fixou residência no sítio Várzea Alegre, numa casa que erigiu próxima à lagoa Jiriam-Cose, depois lagoa de São Raimundo em pleno Vale Caruatá, que, depois, ganhou a denominação de Vale do Machado. Caruatá era o nome primitivo do riacho do Machado.

Em torno da casa do patriarca surgiram outras. À medida em que passava o tempo, sob a influência dele, aquele sítio ganhava projeção. Os antigos registros dão conta de que ele teve oito filhos, até o falecimento de sua companheira. Para atender a um apelo que fizera a falecida, foi edificada uma "casa de orações", espécie de capela pequena, sob a invocação de São Raimundo Nonato.

Apesar e algumas controvérsias, é sabido que Papai Raimundo tinha mais seis irmãos, dos quais também destacaram-se Manuel Antônio de Morais ( o velho Morais) e José Bezerra da Costa, ambos responsáveis por numerosas proles.

Tinha ele ancestrais portugueses, pernambucanos, piauienses e cearenses, advindo daí as nossas verdadeiras origens. Depois da viuvez contraiu novas núpcias, desta vez, com Ana Maria dos Passos. Do segundo consórcio resultaram mais nove filhos.

Entre os filhos do primeiro casamento, destacamos o nome do Major Joaquim Alves Bezerra e do segundo, o Major Ildefonso Correia Lima, que se tornou importante personagem no vizinho município de Lavras, posto que se casou com D. Fideralina Correia Lima, mulher destemida que fez história no cenário político do Estado. A famosa pintora Sinhà d'Amora (Fideralina de Moraes Correia Lima) , cujo prestígio espalhou-se pelo mundo a fora, era bisneta de Papai Raimundo.

Rodeado de filhos, genros, noras, netos, bisnetos, sobrinhos, afilhados e agregados, viveu o nosso patriarca devotado ao trabalho e à numerosa família. Era generoso e justo. Sua bondade era tanta, que lhe valeu o carinhoso cognome de PAPAI RAIMUNDO.
Faleceu em 1840, aos 73 anos, deixando com a família um legado que o tempo jamais destruiria. Seu sítio prosperou, tornou-se povoado, depois vila e hoje é esta bela cidade, sede do município que nunca mudou de nome.

Eis a razão pela qual ainda cultuamos a memória de Raimundo Duarte Bezerra. A história confirma a sua importância e, para nós, esta será sempre a VARZEA ALEGRE DE PAPAI RAIMUNDO.

Tiburcio Bezerra.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário