VÁRZEA ALEGRE TERRA DOS CONTRASTES - Mundim do Vale
Localizada no centro sul do estado do Ceará ficou conhecida no Brasil inteiro depois do musical Contrastes de Várzea Alegre, interpretado por Luiz Gonzaga e composto por Zé Clementino. Cidade que foi tema de um documentário da Rede Globo de Televisão, por ser uma cidade alegre, fazendo assim jus ao seu nome. Cidade que por brincadeira de um grupo de agricultores do sítio Roçado de Dentro, deu partida no samba, para ser hoje, com duas escolas, MIS e ESURD, detentora do melhor carnaval do interior cearense, atraindo turista do estado e do país. Cidade de um povo que transformas as adversidades em causos humorísticos. Cidade que Jesus foi intimado, que o padre era casado, que o sobrado é no oitão, que Telha Quebrada é filho de Zé Goteira e um cego da Boa Vista morreu afogado na Lagoa Seca. Cidade que aparece nos sonhos dos seus filhos que estão ausentes, mas não esquecem jamais. Várzea Alegre dos grandes adjuntos da colheita do arroz, animados pelo grupo de Maneiro Pau e a Banda Cabaçal. Várzea Alegre que quando os filhos que estão distantes se encontram dizem:
- Ou Várzea Alegre boa só é longe! Várzea Alegre que Manoel Cachacinha criou o slogan “Várzea Alegre é natureza! E para finalizar, Várzea alegre é a cidade que só nos deixa tristes quando estamos distantes.

sábado, 30 de novembro de 2013

Fundadores da ESURD - Memória Varzealegrense


ORIGEM: 

Em 1963, um pequeno grupo de agricultores, já habituados a utilizar seus talentos nas festividades improvisadas em terreiros da pequena comunidade do Roçado de Dentro, resolveram comemorar o bom inverno. 

Fantasiados de máscaras de papelão, chapéus velhos, caras pintadas de carvão e conduzindo galhos como alegorias, deixaram seu reduto e foram dividir seus talentos musicais com a popuiação urbana do município. Percorreram pela primeira vez as ruas da cidade naquele carnaval de 1963. 

Em vez da zombaria temida, receberam o apoio da população que se somava ao grupo nas ruas percorridas. 

A empolgação foi tamanha que impulsionou o grupo a desfilar nos anos seguintes, mantendo-se como atração do carnaval varzealegrense há 50 anos, sempre recebendo a aprovação e o apoio financeiro da comunidade varzealegrense.

Cronologia:

A alegria daquele grupo continuou a contagiar as pessoas da cidade por ocasião do carnaval. Sempre no comando víamos o talentoso PEDRO SOUSA, castigando no seu fole de oito baixos em companhia do bravo MESTRE TIM com suas maracas ritmadas. Os sanfoneiros eram JOSIMAR (o maior incentivador), CHICO MENEZES e MATIAS SOUSA. Na caixa de couro de cabra ANTÃO dava sempre o seu show e LÁZARO tocava num pandeiro sem couro; ASSIS DE SOUSA arrastava num tarol, juntamente com ANTONITO; TILÔ dançava e tocava triângulo; JOÃO BATISTA e CESÁRIO batiam bem no pandeiro, ZÉ DE SOUSA caprichava no seu banjo, enquanto ZÉ DE VICENTE tirava som no bombo, que de longe se ouvia com a ajuda eficiente do zabumba de ANTÔNIO DE ZÉ DE ANA. BRÁS, ZÉ ANDRÉ, ZÉ MENESES, CHICO e ANTÔNIO DE JOÃO MARTINS cantavam afinados e animavam o tempo todo. MUNDA MARIANO, vestido de mulher, seios provocantes e com uma sombrinha, era o passista-símbolo do grupo, enquanto MANOEL DO SAPO, DITO MARIANO e ANTÔNIO DE ZEZINHO eram os mais engraçados e divertidos, fazendo passos e piruetas. Não podemos esquecer nessa lista a figura do nosso RAIMUNDO SANTIAGO, um animado folião que além de ajudar a fundar a Escola sempre foi um grande incentivador da mesma. Juntando talento e animação, o sucesso só poderia ser total, sendo que a partir do ano de 1965 o bloco já saiu mais confiante e organizado, com instrumentos musicais melhores, uniformizados e bem orientados por DIASSIS AQUINO. Nos anos de seca o bloco fracassava um pouco, contudo nunca representou um motivo para que o mesmo deixasse de sair nas ruas animando o carnaval de Várzea Alegre.

2 comentários:

  1. Sou testemunha ocular dessa história, desde o seu início.

    ResponderExcluir
  2. Sou testemunha ocular dessa história, desde o seu início.

    ResponderExcluir